PRIMEHOST

A nova era do hosting

São Paulo, outubro de 2008 - O mundo da Internet não pára de inovar, novos conceitos surgem quase que diariamente. No ano passado, nos Estados Unidos, nascia a Computação em Nuvens (Cloud Computing), inspirada em conceitos como WEB 2.0, Blogs, Wikipédia além do próprio e-business. Hoje os Cloud Servers são realidade mundial e anunciam uma grande mudança de paradigmas em relação a serviços de Hosting e utilização de software como serviço (SaaS - Software as a Service). Empresas como Microsoft, Google, IBM, HP, entre outras, consolidam a tecnologia não só adotando para si este modelo, mas também se adaptando às mudanças culturais em seu próprio portfólio, que crescem a cada dia.
A Computação em Nuvens (Cloud Computing) é a geração de hosting com computação baseada em servidores numa nuvem de processamento massivo e armazenamento de dados de alta capacidade, que evita a dependência de recursos físicos alocados em um único hardware. A arquitetura em cloud é muito mais que apenas um conjunto de servidores físicos ou virtuais; ela dispõe de uma infra-estrutura de gerenciamento que inclui funções como provisionamento de recursos computacionais, balanceamento dinâmico do workload e monitoração do desempenho. Esta tecnologia está muito alinhada ao conceito de software como serviço – SaaS – passando por outros conceitos, há tempos em discussão, como arquitetura orientada a serviços (SOA – Service Oriented Architecture), clusters, utility e grid computing (computação em grade), aplicações web enabled e BPM (Business Process Management).

Eu diria que estamos vivenciando a transição para o futuro das tecnologias de infra-estrutura. Da mesma forma que compramos eletricidade de uma empresa fornecedora de energia e optamos por não ter nosso próprio gerador de energia elétrica dedicado, as empresas comprarão hosting daqui pra frente. Os benefícios são inúmeros e vão desde flexibilidade, escalabilidade e redundância, até em relação ao preço. Isso irá permitir a adesão de um novo mercado de pequenas e médias empresas (PME´s) a modelos de serviços combinados como Cloud Server + SaaS que permitirão uma redução de cerca de 40% dos investimentos para aderir diversas tecnologias como CRM, E-mail corporativo, ERP, virtualização de desktops dentre outras, tudo baseado em uma nuvem de computação segura e de alta disponibilidade. De acordo com uma pesquisa da consultoria McKinsey, as PME´s devem gastar 26% do orçamento de TI em compras de SaaS baseados em Cloud Servers. Vale destaque também para a otimização e crescimento do mercado dos serviços virtuais (sistemas proprietários ou não), já que a empresa não precisa se preocupar com a infra-estrutura, nem com atualizações e licenças de softwares.

No Brasil, os veículos de comunicação especializados começam a contar os casos de sucesso locais que utilizam o conceito de cloud computing e anunciam esta tecnologia como um impulsionador para novos conceitos e negócios. É sem dúvida um momento próspero e democrático vivido pelo mercado de tecnologia.

Fábio Alexandre Vieira é Diretor Executivo da PRIMEHOST do BRASIL, empresa especializada em Data Center no Brasil. ( fabio@primehost.com.br )

Fenômeno nas nuvens

IBM lançou nesta segunda-feira diversas iniciativas ligadas ao novo fenômeno da “computação em nuvem”, em que dados e aplicativos ficam em servidores virtuais, acessíveis pela internet. Um dos novos projetos é o Bluehouse, uma rede social com ferramentas de colaboração para ajudar empresas a organizar documentos, projetos, reuniões online, etc.
A empresa também incluiu o “Sametime Unyte” na nuvem. O programa permite a que se trabalhe com documentos e apresentações via browser. O software agora tem uma “sala de espera” para participantes se encontrarem e ele trabalhará em conjunto com o Lotus Notes e o Lotus Sametime para permitir que quem esteja usando email ou programas de mensagem instantâneas possa participar de conferências online.

Cloud Computing (computação nas nuvens) é o mais novo conceito de computação baseada em servidores numa nuvem de processamento massivo e armazenamento de dados de alta capacidade que evita a dependência de recursos físicos alocados em um único hardware. A arquitetura em cloud é muito mais que apenas um conjunto de servidores físicos ou virtuais. Esta arquitetura dispõe de uma infra-estrutura de gerenciamento que inclui funções como provisionamento de recursos computacionais, balanceamento dinâmico do workload e monitoração do desempenho.
Nomes de peso como Amazon, AT&T, Dell, HP, IBM, Intel, Microsoft, Google e Yahoo disseminam o novo direcionamento de mercado e o Gartner acaba de liberar um relatório que aponta o Cloud Computing como uma das três mais importantes tendências emergentes nos próximos três a cinco anos.

Em outubro será divulgado um dos primeiros cases do Brasil implementados por uma empresa 100% nacional com musculatura própria e robusta baseada em Cloud Computing. Estamos falando da PRIMEHOST, empresa que já nasceu com o foco em serviços de hosting de alta disponibilidade e apostou suas fichas em Cloud Servers para atender o mercado corporativo. “Demos mais um passo em direção a missão da PRIMEHOST, o hosting infalível” orgulha-se Fábio Alexandre, Diretor Executivo da empresa. A PRIMEHOST também é uma das primeiras empresas do mercado de hosting a investir na conquista do selo de qualidade ISO 9001 e modelos de atendimento diferenciados.

PRIMEHOST